Centro Socioeducativo para menores divide opiniões de moradores em Brasiléia

94
Moradores se reuniram com vereadores na Câmara para pedir providencias sobre a instalação do Centro em Brasiléia.

Moradores estão se mobilizando para acionar o caso na Justiça.

Alexandre Lima

Uma decisão de contribuir um centro para menores infratores na cidade Brasiléia, pegou moradores de surpresa nesta semana. O projeto que está sendo erguido às margens do Rio Acre, em uma área particular, está dividindo opiniões dos moradores do Bairro Raimundo Chaar, uma vez que a área é residencial.

Sem uma consulta popular, de passar pela Câmara Municipal, sequer ter um projeto autorizado pelo CREA/AC – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Acre, além de registro no Setor de Cadastro do Município, a obra está a todo vapor com data à ser entregue neste mês de julho.

Uma comissão de moradores do bairro, preocupados com o projeto, se reuniram com vereadores do Município na noite desta segunda-feira, dia 3, para pedir medidas contra a obra e que fosse erguida em outro local, fora do centro da cidade. “Deixamos claro que não somos contra a construção do espaço. Dessa forma, os familiares dos menores poderão acompanhar mais de perto dos seus filhos, sem que se desloquem para a Capital. O que faltou, foi uma consulta popular, da escolha do local e ali, tem uma escola, residências e está na beira do rio”, disse uma moradora.

Uma comissão foi formada e visitaram o CREA na cidade de Epitaciolândia, onde confirmaram que não existe um projeto para o local, além de não ter registro no Setor de Cadastro do Município de Brasiléia, caracterizando a ilegalidade da obra. Servidores dos órgãos fiscalizadores iriam realizar visitas e caso houvesse ilegalidade, os trabalhos seriam suspensos.

Segundo foi informado, mas sem uma confirmação concreta, de que empresas já estariam sendo contratadas para fornecimento de serviços sem licitações, como por exemplo, da alimentação por marmitas, entre outros serviços terceirizados.

Durante a reunião na Câmara, vereadores e populares questionaram que, a construção vinha acontecendo sem que quase ninguém soubesse, pegando a todos de surpresa além de não ter espaço suficiente para que os jovens tenham o devido cuidado com oferecimento de atividades devidas, podendo ficar dentro de celas.

O assunto está crescendo dentro da cidade de Brasiléia e os moradores, juntamente com vereadores, estão se mobilizando para que o Estado possa dar explicações e construa o Centro em uma área adequada nos limites do município.

Veja a vídeo reportagem abaixo.