Jair Bolsonaro passa mal e dá entrada em hospital

143
Segundo a assessoria do deputado, o deputado ficou quase uma hora fazendo uma carreata sob o sol forte e não tinha se alimentado corretamente.
No começo da noite desta sexta-feira (13), o pré-candidato para a Presidência da República, Jair Bolsonaro, deu entrada no Hospital Central do Exército (RJ) após passar mal depois de um dia intenso de campanha em Boa Vista, capital do estado de Roraima.

 

Segundo a assessoria de imprensa, o deputado ficou quase uma hora fazendo uma carreata sob o sol forte e não tinha se alimentado corretamente, o que acabou gerando o mal-estar. Porém, essa maré de azar do deputado carioca não acaba por aqui. Pouco mais cedo, Bolsonaro foi denunciado pela PGR (Procuradoria Geral da República) pelo crime de racismo. A acusação formulada pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, tem como base ofensas proferidas por Bolsonaro contra indivíduos pertencentes às comunidades quilombolas durante palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro, em abril do ano passado.

Na denúncia, Dodge diz que sua atitude é “inaceitável”, sobretudo, por se tratar de um parlamentar: “Jair Bolsonaro tratou com total menoscabo os integrantes de comunidades quilombolas. Referiu-se a eles como se fossem animais, ao utilizar a palavra “arroba”. Esta manifestação, inaceitável, alinha-se ao regime da escravidão, em que negros eram tratados como mera mercadoria, e à ideia de desigualdade entre seres humanos, o que é absolutamente refutado pela Constituição brasileira e por todos os Tratados e Convenções Internacionais de que o Brasil é signatário, que afirmam a igualdade entre seres humanos como direito humano universal e protegido”, aponta.

De acordo com a denúncia apresentada pela PGR, nesta palestra no Clube Hebraica, o pré-candidato à República “usou expressões de cunho discriminatório, incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais”.