Marina diz que ausência de PT em debate é decisão do partido

31
De acordo com a candidata da Rede, o momento é para debate entre os candidatos, não vices
Marianna Holanda, Marcelo Osakabe e Gilberto Amendola

Ministra do Meio Ambiente na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – condenado e preso na Operação Lava Jato -, Marina Silva (Rede) disse nesta terça-feira, 7, que a ausência do vice petista, Fernando Haddad, no debate de televisão de presidenciáveis, foi decisão do PT por insistir na candidatura de Lula.

“A falta de representação da candidatura do PT é por uma decisão do próprio partido dos trabalhadores de manter candidato alguém que está impedido pela lei em função do julgamento em segunda instância e em função da lei da ficha limpa”, disse a presidenciável da Rede, após ser entrevistada pelo apresentador Luciano Huck no GovTech, em São Paulo.

“O PT bancou essa posição. Então, participar ou não é em função da decisão política que foi tomada pelo partido”, completou. O primeiro debate entre candidatos ao Planalto ocorre na próxima quinta-feira, 8, na Band.

De acordo com a candidata da Rede, o momento é para debate entre os candidatos, não vices. Se for aberta uma exceção, “senão você cria uma situação de dois pesos e duas medidas’.

No evento, Marina aproveitou para citar conquistas de seu período como ministra do Meio Ambiente, como o programa de acompanhamento do desmatamento da Amazônia em tempo real, com imagens e dados disponíveis em tempo real para a utilização de ONGs e outras entidades.

Segundo a candidata, seu programa de governo irá contemplar um ambiente mais digitalizado, com “transparência de dados, boa gestão e fiscalização do contribuinte para combater desvios”. A tecnologia “tem que andar de mãos dadas com o desenvolvimento das pessoas”, defendeu.