Miss Acre Beleza 2015 exige responsabilização de racistas

86
Internautas que atacaram miss com frases racistas em redes sociais vão ter que responder processo criminal e podem pagar danos. Mesmo grávida de 9 meses, a modelo Edyane Caetano, escolhida no ano passado como Miss Beleza Negra está buscando em delegacia e nos fóruns manter a sua dignidade.

No início desse mês, fotos artísticas na miss sem roupa mostrando a gravidez foram visualizadas por milhares de internautas. Mas, o que deveria ser encarado como uma expressão da beleza feminina, terminou com violência contra Edyane. Um dos agressores pergunta: “sou obrigado a achar negra dos cabelos de bucha uma lindeza?”.

Outros dois agressores também atacam a honra e a dignidade da Miss, que decidiu processar seus algozes. “Estou fazendo isso é nome de outras pessoas que, assim como eu, foram vítimas dessas pessoas preconceituosas que acreditam serem superiores e atacam a honra das pessoas. Agora vou até o fim em busca de Justiça”, declarou.

O crime de racismo é comum nas redes sociais, que virou terra de ninguém. Buscar a Justiça foi à forma que a miss encontrou para se defender e mostrar que existem armas que possam combater esses ataques de intolerância e violência.

Edyane faz parte de uma pesquisa feita no Brasil na qual mostrou que os jovens negros são as principais vítimas de todo tipo de violência. O país tem, hoje, a maior população negra do mundo fora da África, mas o racismo parece fazer parte do nosso dia a dia.

A lei determina a pena de reclusão de 3 a 5 anos a quem tenha cometidos atos de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.