Sequestradores de Rocheco Polanco eram brasileiros e fugiram com o dinheiro

48
Régis Paiva

A situação do sequestro do irmão do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE) Ronald Polanco, José “Rosheco” Polanco Ribeiro, ainda está envolvida em mistério. Segundo as informações recebidas da cidade de Cobija, o sequestrado está fisicamente bem, mas abalado emocionalmente. Os sequestradores seriam brasileiros e fugiram levando o dinheiro do resgate.

Conforme revelou uma fonte que acompanhou de perto as investigações e a operação, o bando seria formado por pelo menos seis brasileiros, os quais teriam usado luvas e permaneceram encapuçados durante todo o sequestro.

O pagamento do resgate teria ocorrido já do lado brasileiro da fronteira, na parte final de um ramal próximo ao trecho antigo da BR 317, perto de Epitaciolândia. No local foi entregue um valor ainda não divulgado em dinheiro. Mesmo com o monitoramento e cerco feito pelas polícias, os bandidos fugiram sem deixar rastros.

Informações vindas de Cobija dão conta de que Rocheco preferiu não detalhes sobre os momentos de terror passados nas mãos dos sequestradores. Apesar de estar fisicamente sem danos, o abalo psicológico foi grande e ele provavelmente vai se pronunciar na quinta-feira. Rocheco já está em companhia de familiares.