Acre vive semana decisiva para possível “lockdown”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Luciano Tavares 

O acelerado crescimento de novos casos da covid-19 assustam. Nos últimos seis dias, entre segunda e sábado, foram contabilizados 1.918 infectados. Os hospitais do Acre estão à beira de um colapso. A qualquer momento pode faltar UTI. Junto a tudo isso, há a possibilidade de que a nova variante do vírus, mais letal e contagiosa, esteja circulando no Acre em meio a pessoas que sequer se preocupam com etiquetas de higiene anticovid como o uso de máscara e o álcool em gel.

O governo, entretanto, quer se antecipar a uma tragédia e não descarta um novo decreto de isolamento social e fechamento de estabelecimentos dos chamados serviços não essenciais nos mesmos moldes do de março do ano passado, quando houve o surgimento dos primeiros casos da doença no Acre.

O Notícias da Hora foi informado por dois importantes secretários do governo que um decreto de “lockdown” é quase inevitável nos próximos dias.

O Palácio Rio Branco deve agir amparando pela análise do Comitê Especial de Acompanhamento da Covid, que na sexta-feira passada (29) por meio de uma videoconferência com prefeitos, líderes religiosos, secretários de Estado e de municípios e empresários apresentou a real situação do Acre em meio à pandemia. Todos saíram do encontro cientes com números e dados técnicos e de que o Estado está à beira de um colapso e sobre a urgência de uma consciência coletiva rigorosa para evitar uma tragédia.