Agentes penitenciários denunciam que bloqueadores de celulares não funcionam

114
 Denúncias de agentes penitenciários revelam que no presídio Francisco de Oliveira Conde – FOC os recém-instalados bloqueadores de celular não funcionam como deveriam. Segundo os servidores que trabalham no presídio, os bloqueadores não conseguem impedir o funcionamento dos aparelhos que possuem chips para operadora TIM, o que possibilita a comunicação dos apenados com o mundo externo.

Durante várias oportunidades o Secretário de Segurança Pública do Estado do Acre, Ermilson Farias, foi categórico em afirmar que com a instalação do equipamento os presos não poderiam mais ordenar crimes como assaltos, transporte de drogas e até mesmo  execuções.

Numa varredura realizada por agentes penitenciários, os profissionais encontraram dentro de um banheiro externo do presídio sete celulares, e todos possuíam chips da operadora TIM. Este fato leva à conclusão de que os aparelhos estão funcionando, mesmo após  a instalação dos bloqueadores tão propalados pelo governo.

O presidente da Associação dos Servidores do Sistema Prisional (ASSPEN), Lucas Bazolin, declarou em entrevista que as falhas no sistema de bloqueio corroboram para que os presidiários  continuem participando das atividades criminosas.

Na entrevista, o presidente da ASSPEN afirmou que sempre algum tipo de aparelho consegue driblar o sistema de proteção,