Bocalom e Gladson tem Posições divergentes sobre decreto que pede fechamento de serviços NÃO essenciais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

 O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), é um defensor da reabertura do comércio na capital acreana mesmo em meio à pandemia de Covid-19. Durante entrevista à Rádio Aldeia nesta segunda-feira (22), Bocalom afirmou que a “fome mata mais que a pandemia”, referindo-se ao decreto assinado por Gladson Cameli determinando o fechamento do comércio no Acre.

Bocalom disse que já conversou com Gladson Cameli sobre a medida radical de fechar lojas, bares, restaurantes e outras atividades consideradas não essenciais.

Gladson tem acompanhado muito de perto os números crescentes da doença no Acre, pois não se limita a focar somente a capital, a doença espalhou de forma generalizada fazendo com que medidas extremas tenham que serem tomadas com o agravamento dos casos de Covid-19, aumento no número de óbitos em decorrência da doença e sobrecarregando o sistema público de saúde.

“Eu já conversei com o governador Gladson sobre o fechamento do comércio. Eu falei pra ele que a fome mata mais que a pandemia”, disse Bocalom.

Com a nova avaliação, de 31 de janeiro a 13 de fevereiro, foram observados a redução do isolamento social e o disparo do número de internações, tanto em leitos de enfermaria quanto de vagas de UTIs, que hoje estão com taxas de ocupações superiores a 70% e 90%, respectivamente. Os óbitos também aumentaram consideravelmente, com 80% a mais registrados no Baixo Acre-Purus e 300% no Juruá e Tarauacá-Envira.

O prefeito progressista afirmou ainda que muitos comerciantes estão procurando a prefeitura para pedir a reabertura do comércio.“Muitos comerciantes do centro de Rio Branco estão me procurando para pedir que eu converse com o governador para reabrir o comércio. Essas pessoas dependem disso para sobreviver e levar comida para suas mesas. No domingo, os vendedores das feiras no Mercado Velho reabriram suas vendas por conta própria, pois precisam comprar comida”, disse o prefeito.

O governo do Acre, por meio do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19, anunciou, na manhã desta segunda-feira, 22, que, devido ao crescimento do número de casos de Covid-19 e à sobrecarga do sistema público de saúde, todas as regionais do estado seguem no Nível de Emergência (Bandeira Vermelha).

O secretário de Saúde do Acre, Alysson Bestene, reforça que este é um momento que precisa do trabalho conjunto de todos, que há a união dos entes federativos, mas que os cuidados mínimos são necessários, além da necessidade do avanço da vacinação, um dos maiores esforços do governador Gladson Cameli.

Folha do Acre e agencia de noticias do Acre