“Bocalom vai ser o divisor de águas do Petecão”, diz João Correia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Luciano Tavares, do Notícias da Hora 

O economista e professor da Universidade Federal do Acre, ex-deputado João Correia, disse ontem no Papo Informal, programa ao vivo transmitido na fanpage do Notícias da Hora, que o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, será o mais importante cabo eleitoral do senador Sérgio Petecão (PSD), pre-candidato ao governo do Acre, nas eleições majoritárias de 2022. Para o professor, se Bocalom estiver bem em sua gestão, o reflexo será visto nas urnas a favor de Petecão, como também o contrário. Caso o prefeito esteja com a popularidade em baixa, Petecão deve sentir o efeito eleitoral negativo.

“O Bocalom vai ser o divisor de águas do senador Petecão. Se o Bocalom fizer uma gestão moderna, inclusiva, uma gestão popular, se ele se comunicar bem, ele pode ser uma alavanca importante para o Petecão. Se o Bocalom não for isso, ele joga a pá de cal.”

João Correia ressaltou ainda que o PT não está morto para a disputa eleitoral do ano que vem, como muita gente imagina. Ele acredita que o ex-presidente Lula, atualmente em primeiro nas pesquisas de intenções de voto, será um importante aliado para o revigoramento eleitoral do Partido dos Trabalhadores no Acre, em oposição ao bolsonarismo.

“Há uma noção de que o PT acabou aqui, isso é um equívoco. Quem acha que o PT está morto está fazendo uma avaliação equivocada. Esse efeito do Lula necessariamente se espraiará aqui.”

O também economista e ex-deputado estadual Luiz Calixto, que também participou do Papo, pensa um pouco diferente do professor sobre a influência da eleição presidencial no voto para governador no Acre. Ele rememorou que durante os 20 anos em que o PT comandou o Estado, os ex-presidentes Lula e Dilma jamais tiveram êxito nas eleições locais, diferentemente de seus correligionários Jorge e Tião Viana e Binho Marques.

“Prova inconteste de que a eleição presidencial se descola um pouco da eleição estadual”, relembrou.

Calixto opinou ainda que Bocalom vai precisar se esforçar bastante para “se recuperar das bobagens que fez”.

“Eu acho sinceramente que o nosso amigo Bocalom precisa andar muito pra se recuperar das bobagens que ele fez nos primeiros 90 dias como prefeito.”

O Papo Informal desta quinta-feira teve as participações do jornalista Altino Machado e dos economistas João Correia e Luiz Calixto.