Brasileirão: Série A de 2021 tem clubes de 11 estados, maior marca desde 1993

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Por Pedro Felipe Machado

Série A do Campeonato Brasileiro que começa neste sábado conta com clubes de 11 estados, maior marca desde 1993, quando 32 equipes disputaram o torneio por 12 unidades da federação. A quantidade de cidades que recebem a competição neste ano também é expressiva: são 14, registro mais alto em 16 anos.

Em comparação com a última temporada, a atual edição terá dois estados e três cidades a mais na busca pelo título. Desde que foi reduzida a 20 clubes, em 2006, a Série A registra uma média de 11,4 cidades e 8,93 estados participantes por ano.

Observe no gráfico abaixo a evolução desde a década de 1990 e passe o mouse para mais detalhes.

Em 2000, o título brasileiro foi definido pela Copa João Havelange, com 116 times e sem a separação em divisões, já que times dos quatro diferentes módulos passaram para o mata-mata decisivo. Por isso, o ano não entra neste levantamento.

Série A do Brasileirão 2021 tem 11 estados participantes — Foto: Infoesporte/ge.globo

Série A do Brasileirão 2021 tem 11 estados participantes — Foto: Infoesporte/ge.globo

A maior diversidade desta temporada ocupa o espaço deixado pela presença simultânea de clubes tradicionais das regiões Sul e Sudeste na Série B, como Botafogo, Coritiba, Cruzeiro e Vasco.

ano de 2021 será apenas o terceiro desde a década de 1990 em que o Sudeste não terá ao menos metade das equipes da Série A. As outras edições foram em 2003 e 2014, quando Botafogo e Palmeiras, no primeiro ano, e Vasco, no segundo, também estiveram na Série B.

Desde 1991, a Série A disponibilizou 660 vagas na soma de suas 30 edições. Elas foram ocupadas por 16 estados. Confira a distribuição nos gráficos abaixo:

Os destaques individuais da marca histórica deste ano ficam por conta dos acessos de Cuiabá, Chapecoense e Juventude. A equipe da capital de Mato Grosso colocou o estado de volta na Série A após 36 anos – o último representante havia sido o Operário, em 1985.

A Chape marca o retorno de Santa Catarina, que havia ficado fora da Série A no ano passado pela primeira vez desde 2001. O Juventude, de Caxias do Sul (RS), volta ao torneio após 14 anos.

Há ainda um dado relevante para os clubes do Nordeste: pela primeira vez no período analisado, a região ocupa quatro vagas da Série A por quatro temporadas consecutivas – nos últimos 30 anos, apenas uma vez, em 1993, mais de quatro times nordestinos estiveram na elite brasileira em uma mesma edição. Em 2021, Bahia (com o Bahia), Ceará (Ceará e Fortaleza) e Pernambuco (Sport) são os estados na disputa.

Por outro lado, a região Norte segue como única a nunca ter participado da Série A de pontos corridos com 20 clubes. Nas quatro temporadas anteriores ao último corte no número de times, de 2002 a 2005, o Paysandu foi o último nortista na elite nacional.

Nos últimos 30 anos de Série A, desde 1991, período analisado neste levantamento:

  • Cinco estados tiveram representantes em todas as edições: Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.
  • Outros 11 estados não tiveram nenhuma participação: Acre, Amapá, Rondônia, Roraima, Tocantins, Maranhão, Paraíba, Piauí, Sergipe e Mato Grosso do Sul.
  • Três estados tiveram apenas uma participação: Alagoas, Espírito Santo e Mato Grosso.
  • Sete edições tiveram ao menos um representante de todas as cinco regiões do país.
  • São Paulo lidera com maior número de representantes em todos os anos, mesmo que empatado com o Rio de Janeiro em cinco edições.
*Estagiário, supervisionado por Luciano Mello