Com participação popular, Câmara de Epitaciolândia realiza 30ª sessão ordinária de 2021

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Renny Carvalho

Aconteceu nesta terça feira17 de novembro de 2021, a Trigésima sessão ordinária na câmara municipal de Epitaciolândia, onde houve votação de projetos de lei e do orçamento municipal para o ano de 2022.

A Sessão contou com a presença do grande público, que esteve atento as pautas debatidas neste dia.

Acompanhe a seguir um resumo das falas dos vereadores na tribuna da Câmara nas explicações pessoais

Vereador Rubens Rodrigues (PSD): Iniciou sua fala cumprimentando a mesa e o público presente, mencionou a votação inédita no município, que impede o poder executivo de fazer “farra” com o dinheiro público, disse que suas palavras foram mal interpretadas, e que jamais foi contra a realização de atividades culturais no município, pois ele próprio sempre foi um amante da cultura e realizador de práticas culturais principalmente no bairro onde reside (José Hassem), o que o vereador não aceita é que o dinheiro público pago para aluguel do Club como Art Eventos e também pago aos artistas (Edilson Capetinha e Marcelo Bimbi),  para vim apenas bater palmas no município, poderia ser revestido em maior premiação aos talentos locais. Disse que na Rua Bahia, uma carreta passou três dias atolada, e a atual gestão há alguns meses realizou trabalhos no local, mas os serviços não resistiram as primeiras chuvas. Parabenizou a mesa diretora e as duas vereadoras (Preta e Seliene), por acompanhar a votação que garantiu 1% ao executivo para remanejar no orçamento 2022. Lembrou que a partir de agora vai acabar a farra de aluguéis de casas de colegas vereadores para a prefeitura somente para acomodar aliados e finalizou lembrando que em breve a população vai tomar conhecimento da farra de funcionários que recebiam pela câmara sem nunca terem pisado na casa do povo, inclusive pessoas da educação municipal.

Messias Lopes (PT): Iniciou sua fala cumprimentando a plateia, mencionou a decadência do município que tem mais de 13 mil eleitores e não consegue garantir um representante coo deputado estadual ou federal, disse que a situação da fronteira que está abandonada, e que o alto acre não tem se quer um político na esfera maior para defender essas pautas. Falou sobre a situação da iluminação pública na tranca, que nem se quer isso tem. Questionou que a prefeitura não tem feito se quer a limpeza da cidade. Sobre o orçamento 2022 o vereador parabenizou os colegas que pela primeira vez concedem 1% ao executivo para remanejar de uma rubrica para outra e que ao contrário do que muitos pensam essa atitude não inviabiliza a gestão de trabalhar, haja vista que, os mais de 40 milhões do orçamento de 2022 estão garantidos, ele apenas será fiscalizado com mais rigor pois esse é  papel do vereador. Lembrou que os órgãos de fiscalização como é o caso do TCE, recomenda que seja dado zero% aos gestores. Parabenizou a classe da educação que se fez presente na sessão acompanhado a votação e os trabalhos dos vereadores.

Jose Maria (PSL): Cumprimentou a plateia e os demais vereadores e iniciou sua fala relatando a visita feita no ramal da Torre no km 28 que apartou recentemente, mesmo com tantos avisos feitos por esta casa legislativa, e que por intermédio do representante do governo no Alto Acre Sr. Joelso Pontes, o Deracre retornou ao local para retomada dos serviços. Disse estar feliz com a votação que destina 1% ao executivo para remanejar de uma rubrica para outra do orçamento 2022 e que esta casa não está tentando “emperrar” de fazer seu trabalho, até por que pouco foi feito pala atual gestão que está prestes a completar um ano. Lembrou que o prefeito pode até trabalhar om 30% ou mais, desde que ele mande para o legislativo a informação de como vai está aplicando os recursos municipais. Finalizou lembrando que a única dança é que a prefeitura terá que dar satisfações a população e a casa legislativa sobre o dinheiro público, pois o que se via antes era farras e mais farras, viagens por cima de viagens, flashes e mais flashes, Edilson Capetinha e Marcelo Bimbi que vem ganhar dinheiro aqui até para entregar sacolão das escolas. Finalizou lembrando que com o dinheiro pago a Edilson e Bimbi, poderia ter sido adquirido uma caçamba de asfalto para tapar os buracos das ruas da cidade, que estão sendo feitos com barro ou com cimento.

Diojino Guimarães (MDB): Cumprimentou a casa e a plateia e disse que essa é uma vitória da câmara e da população, pois o último contato dessa casa com a prefeitura foi dia 26 de junho, e que o prefeito não tem respeitado nenhum dos poderes, muito menos a população. Disse que uma denúncia feita em vídeo da situação de abandono das ruas da cidade, principalmente na Rua Dom Júlio Matiole, próximo a URPA, depois da repercussão nas redes sociais o prefeito na mesma noite da denúncia, resolveu tapar o referido buraco, ou seja, todo gestor público tem medo de “zuada”, e pediu encarecidamente que população se manifeste através das redes sociais quando o povo fazer sua parte cobrando. Lamentou que na BR, em trecho recuperado pala prefeitura com cimento nos buracos, os problemas já voltaram, pois, o cimento não une com asfalto. “Daqui para o Natal os buracos já estão todos abertos e é dinheiro público jogado fora e isso precisa ter zelo. Diojino reforça que a aprovação de 1%, é uma forma de estreitar o diálogo e garantir o controle na fiscalização dos recursos públicos. O vereador finaliza lembrando que por falta de ação da atual gestão, 22 ruas estão licitadas e com ordem de serviços desde a administração passada, com 4 milhões em caixa e o povo sofrendo com ruas esburacadas por incompetência do gestor do município.