Entrevista exclusiva do ministro da Fazenda, Henrique Meireles a Fernando Rodrigues (Poder 360), no Ministério da Fazenda. Brasília, 24-11-2016 (Foto: Sérgio Lima / PODER 360).

De volta pra casa: Henrique Meirelles deixa o MDB e se filia ao PSD

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Renato Vasconcelos

Ex-ministro da Fazenda de Michel Temer e atual secretário de Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles trocou o MDB, partido pelo qual concorreu à Presidência da República em 2018, pelo PSD, sigla que ajudou a fundar em 2011. O retorno de Meirelles à legenda do Centrão foi formalizado nessa sexta-feira, 12.
Henrique Meirelles, secretário da Fazenda e Planejamento de São Paulo, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes 
Henrique Meirelles, secretário da Fazenda e Planejamento de São Paulo, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes

Foto: Divulgação / Governo do Estado de SP / Estadão

“Feliz com o retorno de Henrique Meirelles ao nosso PSD em Goiás. Meirelles é fundador do nosso partido e sua chegada é uma sinalização de que o PSD está sempre disposto a ter bons quadros. É uma referência técnica, de competência e honestidade. Tenho certeza de que terá ainda mais sucesso agora no partido”, escreveu Kassab.

Compareceram ao “ato” de filiação do partido políticos de Goiás, Estado pelo qual o ex-presidente do Banco Central se filiou – Meirelles é nascido em Anápolis. Um deles, o senador Vanderlan Cardoso classificou como “uma honra” a chegada de “um dos nomes mais importantes da política e da economia brasileira”.

“Estive hoje (ontem) em São Paulo na casa do presidente nacional do PSD Gilberto Kassab, para abonar a ficha de filiação do secretário da Fazenda e Planejamento de São Paulo, o goiano Henrique Meirelles, no PSD de Goiás”, escreveu. E completou: “É uma honra para nós recebermos um dos nomes mais importantes da política e da economia brasileira, que já ocupou os cargos de ministro da Fazenda, presidente do Banco Central e do BankBoston. Honra maior ainda é receber um conterrâneo”.

O secretário de Fazenda de São Paulo não se manifestou pelas redes sociais sobre a troca de partido, mas a filiação abre espaço para uma candidatura do ex-ministro ao Senado ou ao governo de Goiás em 2022.

Em 2020, MDB e PSD (o ex-partido e o atual de Meirelles), disputaram o 2º turno da capital do Estado, Goiânia, com vitória do emedebista Maguito Vilela – que faleceu vítima da covid-19 antes de assumir de fato o cargo – sobre Vanderlan Cardoso.