Estado realiza mutirão humanitário em Assis Brasil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A equipe da Secretaria de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres do Acre (SEASDHM), em parceria com outros órgãos do Estado, promoveu um mutirão humanitário em Assis Brasil, além de realizar uma reunião para tratar sobre o fluxo migratório na região.

O mutirão se iniciou na quinta-feira, 4, e perdurou até o fim de semana, com a participação da Defensoria Pública da União, da organização Caritas, da prefeitura local, da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública e da Organização Intencional para Migrações.

Grupo Especial de Fronteiras (Gefron)  tem atuado em parceria com o município para identificar e mapear todos os imigrantes que estão nos abrigos, hotéis e na ponte. Foto: Neto Lucena/Secom.

O Grupo Especial de Fronteiras (Gefron)  tem atuado em parceria com o município para identificar e mapear todos os imigrantes que estão nos abrigos, hotéis e na ponte. A SEASDHM levou colchões e kits de roupas para atender a demanda dos abrigos. Em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde, estão sendo realizadas testagens de Covid-19 nos imigrantes.

“Com o apoio técnico fornecido pela SEASDHM, percebeu-se que os imigrantes se sentiram mais acolhidos e dispostos a colaborar. O município de Assis Brasil também tem feito um belo trabalho, juntos estamos caminhando para um trabalho mais ativo e humanizado”, destacou o diretor de Assistência Social, João Victor Mascarenhas.

Foi realizada também uma triagem das famílias ou grupos que tenham interesse em se dirigir ao interior dos estados brasileiros. Foto: Neto Lucena/Secom.

Foi realizada também uma triagem das famílias ou grupos que tenham interesse em se dirigir ao interior dos estados brasileiros, por meio do cadastro realizado pela SEASDHM, que será repassado à Secretaria de Estado da Casa Civil. A Assessoria Especial para Assuntos de Migração do Ministério da Cidadania está em Assis Brasil desde o último dia 6,  buscando alternativas e possibilidades para os imigrantes que queiram retornar aos seus estados anteriores, pois a maioria já é constituída de brasileiros naturalizados.