Lula é recebido em jantar por caciques do MDB. No cardápio, eleições 2022

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Com jantar oferecido pelo ex-senador Eunício de Oliveira (CE), nesta quarta-feira (6/10), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aproveita para se aproximar de figuras do MDB que tendem a apoiar sua canditura à Presidência da República em 2022.

Compareceram à casa de Eunício, no Lago Sul, em Brasília, os emedebistas Raul Henry (PE), Veneziano Vital do Rego (PB), Nilda Gondim (PB), Isnaldo Bulhões (AL), Marcelo Castro (PI), Walter Alves (RN), Edson Lobão (MA) e Lobão Filho (MA).

Do lado do PT, além de Lula, estiveram na reunião Paulo Rocha (PA), Paulo Teixeira (SP), José Guimarães (CE) e a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, além do ex-ministro Luiz Dulci.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, chegou a ser convidado, mas não foi ao jantar.

Os senadores Renan Calheiros (AL) e Eduardo Braga (AM) avisaram que não iriam ao jantar e declinaram do convite alegando que não seria bom, neste momento em que os trabalhos da CPI da Covid entram na reta final, o encontro.

“Ia ser uma reunião do relatório, não um jantar”, explicou Eunicio, em conversa com o Metrópoles.

O senador Veneziano chegou em um carro ofical, pois com a viagem de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), responde como presidente do Senado.

“Respeita a Dilma”

Do lado fora da casa de Eunício, um grupo de 8 pessoas protestou com faixas, condenando Lula por se reunir com emedebistas. “Está jantando com os caras que derrubaram a Dilma”, gritaram os manifestantes.

Eles deixaram na rua, em frente à casa, uma faixa com a seguinte questão: “Ué, Lula, não foram eles que deram o golpe na Dilma?”, referindo-se ao impeachment em 2016. “Respeita a Dilma”, gritaram.