Cesário Campelo abre o verbo e diz que muitos que saíram do PT, foi para ingressar ao governo Gladson

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Lucas Vitor 

Exibido pelo ac24horas, o quadro Boa Conversa, trouxe na noite desta terça-feira, 28, o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores no Acre, Cesário Braga, que revelou que a sigla perdeu desde a derrota em 2018 em torno de 500 filiados.

De acordo com o petista, a maioria dos que pediram a desfiliação da sigla embarcaram no governo Gladson Cameli e aproveitou para dar aquela cutucada de leve nos apoiadores do atual governo que não foram contemplados com cargos na estrutura do Estado.

“Nós temos 12 mil e pouco filiados e a gente perdeu de 400 a 500 filiados. A maioria dos 500 que pediram desfiliação são pessoas que foram trabalhar no governo do Gladson. Cara, o Gladson não estava preparado para ser governador e nem estar. A oposição não tinha quadro com capacidade técnica para governar o Estado. Então, eles acabaram pegando muita gente, inclusive, servidores públicos que se qualificaram nos nossos governos e eu acho normal aproveitar eles. Agora, você tem que perguntar pros aliados do Gladson, se ele gosta do pessoal que balançou bandeira pra ele tá desempregado. Eu penso que a pessoa tem que ter capacidade e tem que ter os leais também”, afirmou.

Em seguida, Cesário criticou a falta de lealdade e lamentou os rumos tomados pelo ex-companheiro Moisés Diniz. “Eu não perco um minuto da minha vida falando do Moisés Diniz, ele tá acabando com a própria história. O Moisés tá acabando com a própria história e eu tenho pena dele”, encerrou.

Assista a entrevista completa: