Mais de 180 imigrantes continuam em abrigos de Assis Brasil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Por Iryá Rodrigues

Quatro dias depois que os imigrantes que estavam acampados na Ponte da Integração, que liga a cidade de Assis Brasil, no interior do Acre, a Iñapari, no Peru, deixaram o local por ordem judicial, 181 continuam nos dois abrigos da cidade.

Os imigrantes, maioria ainda haitianos e outros venezuelanos, africanos e colombinos, estão abrigados nas escolas Irís Célia e Edilsa Maria Batista. A informação foi confirmada pela secretária de Assistência Social de Assis Brasil, Johanna Oliveira.

Os estrangeiros que estão na cidade tentam sair do Brasil usando o Acre como rota. A ponte já chegou a ser ocupada por pelo menos 300 imigrantes no dia 14 de fevereiro. A cidade de Assis Brasil já chegou a ter mais de 600 imigrantes.

Segundo ela, um grupo de 19 imigrantes deve ser mandado, em uma van da prefeitura, para a capital acreana, de onde vai seguir viagem para os estados brasileiros onde estavam antes de vir para o Acre. Outros 20 já demonstraram também interesse em deixar a cidade e também devem ser levados para Rio Branco nos próximos dias.

Imigrantes deixaram a Ponte da Integração, em Assis Brasil, após determinação judicial — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Imigrantes deixaram a Ponte da Integração, em Assis Brasil, após determinação judicial — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Novas rotas

A secretária informou que os imigrantes que estão nos abrigos comentam que encontraram novas rotas para seguir suas viagens para outros países. No entanto, os grupos não informam por onde estão passando por receio de esses locais também serem fechados.

“Eles mostram para a gente as mensagens dos que conseguiram passar. Tem uns que conseguiram já ir para Colômbia e outros até para o México, mas nós não sabemos por onde eles estão conseguindo ir, eles não nos contaram essas novas rotas. Muitos estão deixando a cidade, alguns pedindo auxílio para ir até Rio Branco e de lá pegar um voo para outros estados brasileiros. Continuamos com toda assistência nos abrigos, alimentação e atendimento de saúde”, disse a secretária.

Testagem para Covid-19

Alguns imigrantes testaram positivo para Covid-19 e até foram colocados em isolamento em um abrigo montado no ginásio da cidade. No entanto, a secretária disse que nesta sexta-feira (12) nenhum imigrante está no local e que eles devem ter saído da cidade.

As testagens, segundo ela, devem ser feitas hoje, mas só em imigrantes que apresentarem sintomas da doença e por agendamento. A prefeitura chegou a suspender os testes dos imigrantes, alegando que não tinha onde colocar os casos positivos em isolamento.

O trabalho de testagem foi retomado na sexta (5), após uma equipe itinerante da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) ir até a cidade fazer atendimentos de saúde.

Ocupação

A situação dos imigrantes começou a ficar tensa desde o dia 14 de fevereiro, quando eles deixaram os abrigos que ocupavam e se concentraram na Ponte da Integração. No dia 16, os estrangeiros enfrentaram a polícia peruana e invadiram a cidade de Iñapari, no lado peruano da fronteira. Depois de confronto, o grupo foi mandado de volta para Assis Brasil.

A crise imigratória resultou na visita do secretário Nacional de Assistência Social, do Ministério da Cidadania, Miguel Ângelo Gomes, que esteve no último dia 19 em Assis Brasil para ver a situação.

Gomes se reuniu com o governador da Província de Madre De Dios, Luis Guillermo Hidalgo Okimura, e o prefeito de Iñapari, Abraão Cardoso. Na conversa, segundo a Agência do Governo do Acre, as autoridades peruanas informaram que o país avaliava uma forma de abrir a fronteira para liberar a passagem dos imigrantes.