MP recomenda que esposa de Ulysses e 17 e outros fiquem sem a 2ª dose da vacina contra Covid-19

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

 Lucas Vitor 

A promotora de justiça Myrna Teixeira Mendoza, do Ministério Público do Acre (MPAC), emitiu uma recomendação nesta quinta-feira, 18, ao secretário de Saúde de Rio Branco, Frank Lima, que a estudante de psicologia Dayanna Menezes, esposa do coronel da Polícia Militar, Ulysses Araújo, e os outros 17 estagiários da Policlínica da PMAC, não sejam contemplados com a 2ª dose da vacina contra à Covid-19.

Segundo a promotora, houve violação às normas do Plano de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 e por isso Dayanna e mais 17 estagiários da Policlínica da PM não deverão tomar a segunda dose do imunizante.

A promotora alertou que caso Frank Lima não adote a recomendação, poderá responder nas esferas civil, administrativa e penal, em razão de ações ou omissões ilícitas eventualmente verificadas no caso, quando poderão ser previstas, também, ações de improbidade administrativa, para as quais o descumprimento desta recomendação.

Por fim, a promotora determinou que no prazo de dez dias sejam enviados documentos comprobatórios da não aplicação da segunda dose da vacina contra o coronavírus Covid-19, aos dezoito estagiários de psicologia da Policlínica Militar do Estado do Acre, dentre os quais, Dayanna Menezes Soares de Araújo, esposa de Ulysses.