Porrada no Negacionismo: Estudo mostra efetividade das vacinas contra Covid

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
O maior estudo de “mundo real” já realizado no Brasil traz informações específicas sobre a efetividade dos imunizantes Oxford/AstraZeneca e Coronavac de acordo com as faixas etárias da população.

Uma versão pré-print do trabalho foi divulgada na quinta-feira (26/8). Além da quantidade de dados analisados, o levantamento avança ao verificar a capacidade de proteção das vacinas no chamado “mundo real”, sem as variáveis que costumam ser controladas nos ensaios clínicos, como por exemplo as comorbidades dos pacientes ou a faixa etária dos voluntários recrutados para os testes dos imunizantes.

O estudo corresponde a um retrato sobre como as vacinas funcionaram para a população até aqui. Os dois imunizantes contra a Covid-19 analisados pelos pesquisadores foram os mais aplicados pelo Programa Nacional de Imunização no período, por isso não há um detalhamento semelhante com os resultados das vacinas Pfizer/BioNTech e Janssen, que também estão sendo administradas no Brasil.

“Já tínhamos suspeita da influência da idade na queda da efetividade, porque o mesmo ocorre com outras vacinas. O que fizemos foi delimitar claramente esse ponto de declínio. Essa é também a primeira comparação feita entre vacinas que usam diferentes plataformas”, explicou o pesquisador Barral-Netto, o líder do trabalho, à agência de notícias da Fundação Oswaldo Cruz.

Veja aqui a efetividade das vacinas de acordo com o estudo:

Taxa geral, referente a toda população

Oxford/AstraZeneca (duas doses): proteção de 72,9% contra a infecção, 88% contra hospitalização, 89,1% contra internação em UTI e 90,2% contra óbito.

Coronavac (duas doses): proteção de 52,7% contra a infecção; 72,8% contra hospitalização, 73,8% contra internação em UTI e 73,7% contra óbito.

Oxford/AstraZeneca (duas doses)

  • abaixo de 60 anos: 62,5% contra a infecção, 94,2% contra hospitalização, 95,5% contra internação em UTI e 93,3% contra óbitos.
  • entre 60 e 69 anos: 78,5% contra a infecção, 91,7% contra hospitalização, 93,2% contra internação em UTI e 89,6% contra óbitos.
  • entre 70 e 79 anos: 79,2% contra a infecção, 88,4% contra hospitalização, 87,4% contra internação em UTI e 92,5% contra óbitos.
  • entre 80 e 89 anos: 78,3% contra a infecção, 86,9% contra hospitalização, 89,3% contra internação em UTI e 91,2% contra óbitos.
  • acima de 90 anos: 46,9% contra a infecção, 54,9% contra hospitalização, 39,7% contra internação em UTI e 70,5% contra óbitos.

Coronavac (duas doses)

  • abaixo de 60 anos: 44,6% contra a infecção, 84,2 % contra hospitalização, 80,8% contra internação em UTI e 76,5% contra óbitos.
  • entre 60 e 69 anos: 55,9% contra a infecção, 78,2% contra hospitalização, 78,7% contra internação em UTI e 78,7% contra óbitos.
  • entre 70 e 79 anos: 61,9% contra a infecção, 74,0% contra hospitalização, 75,7% contra internação em UTI e 78,3% contra óbitos.
  • entre 80 e 89 anos: 57,1% contra a infecção, 63% contra hospitalização, 65,1% contra internação em UTI e 67,3% contra óbitos.
  • acima de 90 anos: 31,7% contra a infecção, 32,7 % contra hospitalização; 37,2% contra internação em UTI e 35,4% contra óbitos.