Prefeito de Epitaciolândia já trocou metade de seu time titular anunciado em janeiro de 2021

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

DA REDAÇÃO

“Em time que está ganhando não se mexe”, esse é um dos ditados populares mais conhecidos Brasil à fora, utilizado não só para o mundo esportivo. Na politica esse ditado é sempre muito falado para garantir que uma equipe anda bem e não precisa ser mudada.

Dos dez nomes titulares anunciados para comandar as secretarias municipais, o técnico da equipe já trocou mais da metade do time, uns não ocupam nem o banco de reservas, outros foram trocados de posição dentro do time e os que permanecem na mesma posição não sabem o dia de amanhã.

No futebol, um jogador é substituído por cansaço físico, por não está bem na partida, por está pendurado ao receber cartão amarelo, e por ai vai.

À boca miúda corre a noticia que mais dois jogadores do time principal estão na corda bamba. Qual seria o motivo de tanta mexida na gestão municipal de Epitaciolândia? Ausência de respostas positivas? racha politico no grupo? denuncias (comprovações), de irregularidades? falta de adequação ao projeto futuro?

No futebol, quem é substituído, tem a chance de retornar no jogo da próxima rodada e ser até o destaque da partida. Na politica, na grande maioria das vezes quem é substituído, é expulso de vez da equipe.

Fazendo um retrospecto dos sete primeiros meses de gestão em Epitaciolândia, num troca-troca quase que mensal, é possível tirar algumas conclusões. Que o time está desentrosado, que a bola está murcha, que os jogadores estão fora de forma ou que o sistema tático ainda não foi encontrado. O certo é que o time de Sérgio Lopes é inconstante.

Diante dos exemplo acima, cabe aos comentaristas ou analistas, a leitura de cada situação.