Prefeito Jerry mobiliza embaixada, ministérios, senadores e deputados para tratar crise migratória em Assis Brasil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

 

Na manhã desta Terça-Feira (16), o Prefeito de Assis Brasil Jerry Correia, conseguiu, com muito clamor e o apoio da bancada Federal, presidida pelo Senador Petecão mobilizar todas as autoridades competentes para, através de videoconferência, discutir sobre a crise migratória que se instala no Estado do Acre, em especial no município de Assis Brasil.

Participaram da Videoconferência, o Embaixador Rodrigo Baena, Ministro Costa e Silva, Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, Deputados Federais, Vanda Milani, Alan Rick, Mara Rocha, Léo de Brito, Perpétua Almeida, representantes do Governo Federal, Senadores Sérgio Petecão, Mailza Gomes e Governo do Estado.

“Tive a oportunidade de clamar mais uma vez por ajuda e uma solução definitiva para essa situação. Desde domingo, venho me esforçando para mobilizar toda a ajuda possível, iniciando pela bancada Estadual, seguida da Federal, ministros e embaixadas, porque Assis Brasil não pode continuar apenas recebendo assistência para manter abrigo, cestas básicas e materiais de limpeza, o que se quer é uma solução definitiva para a passagem migratória. Essa Prefeitura não tem condições de assumir o que é de responsabilidade do Governo Federal,” disse Jerry.

O Ministro das Relações Exteriores, ouviu atentamente todo o clamor, se colocando à disposição para encontrar uma resolutiva.

Jerry também questionou a presença do Exército Brasileiro na fronteira, e destacou que após a reunião, acredita que mais forças de segurança serão mobilizadas, tendo em vista que há a notícia da chegada de outros grupos de imigrantes.

No tocante, lembrou que não foi permissiva a entrada dos imigrantes em Iñapari e sim foi algo forçado pelos respectivos grupos que desesperados já não sabiam o que fazer, senão agir por força bruta. No entanto, apesar de terem conseguido entrar no Perú, foram expulsos com brutalidade pelas forças policiais e regressaram ao Brasil.

Agora além de o município atender com alimentação e estadia, também tem a preocupação de curar os feridos, vítimas dos policiais peruanos.