Xapuri cancela carnaval fora de época após crescentes casos de covid-19 no Alto Acre

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Jair Pacífico, disse que o carnaval fora de época seria realizado obedecendo a todas as exigências impostas pela bandeira verde

Por Raimari Cardoso

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 divulgou nesta sexta-feira, 13, o Relatório Técnico referente ao período de 1º a 14 de agosto de 2021 com a nova classificação do Nível de Risco no estado como definido pelo Pacto Acre sem Covid.

A Regional do Alto Acre regrediu em seu cenário para o Nível de Atenção (bandeira amarela), depois de ter, na última avaliação, no dia 9 de agosto, sido reclassificada para a bandeira verde, que é a de cuidado.

A nova classificação acarreta mudança de regra para o funcionamento dos setores e atividades comerciais e sociais, que passam a poder funcionar com lotação de 50% da capacidade de público. Assim, não ocorrerá mais, pelo menos por ora, o evento denominado “carnaval fora de época”, que seria realizado em Xapuri nos dias 4 e 5 de setembro.

O evento, que é um projeto financiado pela Lei Aldir Blanc, vinha sendo motivo de um debate acirrado nas redes sociais envolvendo opiniões contrárias a respeito do assunto. Enquanto parte dos internautas concordam com a realização da festa, outra discordava considerando que ainda é cedo para eventos desse porte.

O autor do projeto e organizador do evento, Jair Pacífico, disse que o carnaval fora de época seria realizado obedecendo a todas as exigências impostas pela bandeira verde, inclusive com controle de entrada e apresentação da carteira de vacinação dos participantes para comprovar que estariam imunizados.

“Nós não iríamos desobedecer a nenhuma regra. As pessoas têm que entender que a classe dos músicos e de outros que dependem da atividade precisam ganhar dinheiro para sobreviver. Nós estamos há um ano e meio sem ganhar nada e a Lei Aldir Blanc veio exatamente por conta disso”, explicou.

No entanto, Jair diz que o retorno da regional à bandeira amarela, não será mais viável a realização do carnaval nesse momento, uma vez que o evento não mais poderá ter 80% da capacidade de público, como permite a bandeira verde, mas apenas 50%, o que vigora na amarela.

“Mas nós poderemos realizar os shows na bandeira amarela, com a capacidade de 50% de público, isso porque as atrações já estão contratadas e com deslocamentos para cá já marcados. Até a próxima semana, nós teremos uma melhor definição do que vai realmente acontecer”, acrescentou.

Nova avaliação

O Relatório Técnico mostra que a regional do Alto Acre teve redução de 1% na taxa de isolamento social e aumento de 255% na ocupação de Leitos Clínicos – COVID19 – obtendo nota 7. Apesar da nota, a regional apresenta outros dados que são positivos, como redução de novos casos de Covid-19 e registros de óbitos zerados há 7 dias.

As regionais do Baixo Acre e Purus e Juruá-Tarauacá-Envira mantiveram a classificação em Nível de Atenção (bandeira amarela), permanecendo, portanto, todas as medidas já em vigor desde a classificação anterior, com o funcionamento dos setores e atividades comerciais e sociais com lotação de 50% da capacidade de público.

Na nota técnica, o Comitê reafirmou o compromisso de transparência da informação à toda população, bem como o engajamento do órgão colegiado em fazer cumprir seu papel no enfrentamento ao SARS-CoV-2.

“Na certeza de que todos os esforços envidados irão se reverter em conscientização de que as medidas de higiene sanitária e vacinação são os grandes aliados no combate à pandemia da Covid-19”, diz um trecho da nota.

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 é órgão colegiado e deliberativo, auxiliar do Estado do Acre nas matérias relacionadas à doença Covid-19, causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).